quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Lisboa e Madrid assinam acordo contra extinção do lince

A tentativa de evitar a extinção do lince ibérico através de um programa de reprodução em cativeiro desta espécie em Portugal é o objectivo de um acordo assinado hoje em Lisboa entre os governos português e espanhol.

Uma das acções fundamentais para implementar o Programa de Reprodução em Cativeiro do Lince Ibérico, ao abrigo do qual é hoje assinado o acordo luso-espanhol, é a instalação em Portugal de um centro exclusivo de reprodução, previsto para Silves.

A primeira unidade do país dedicada à reprodução da espécie, semelhante à que existe no Parque Doñana, em Espanha, deverá estar concluída em Dezembro de 2008 e prevê-se que tenha um custo de 3,6 milhões de euros.

O acordo de cooperação luso-espanhol que hoje à tarde é assinado em Lisboa tem como objectivo recuperar o habitat do lince ibérico e fomentar a existência de maiores populações de presas, como o coelho bravo.

Segundo o ministério do Ambiente, a situação da espécie «é tão crítica», que só a colaboração entre os dois países «poderá reverter» a situação de declínio em que se encontra o lince ibérico.

O anúncio de que iria ser criado um centro no Algarve foi feito no final de Julho pelo ministro do Ambiente, que na altura o apresentou como sendo uma das medidas de compensação estabelecidas pela construção da Barragem de Odelouca.

O presidente da Câmara Municipal de Penamacor viria mais tarde criticar o projecto, por considerar que contrariaria o trabalho já feito na Serra da Malcata para receber aquela estrutura.

O futuro centro, previsto para a Herdade das Santinhas, vai trabalhar em colaboração com o Parque Doñana, na Andaluzia, que deverá ceder a Portugal exemplares de lince ibérico viáveis para a reprodução.

A cedência de animais por parte de Espanha - onde há duas populações, em Doñana e Sierra Morena -,é uma das condições que irão garantir o funcionamento do centro português, no esforço conjunto de ambos os países para recuperar a espécie.

O lince ibérico vive actualmente segundo o ministério do Ambiente uma situação «gravíssima», tendo mesmo sido considerada uma espécie «criticamente em perigo» pelo Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal, publicado em 2005.

Nos últimos anos não foi possível detectar nenhuma população reprodutora em Portugal - como as duas únicas que existem actualmente na Andaluzia -, sendo um dos factores apontados para o seu desaparecimento o declínio do coelho bravo, espécie de que se alimenta o lince ibérico.
Fonte: Diário Digital

1 comentário:

4amigos4ever disse...

Olá Emanuel! Ainda bem que lisboa e madrid assinaram este acordo, agora é esperar para ver os desenvolvimentos! Abraços,4amigos4ever!!1

Estado de Conservação dos Animais:

Estado de Conservação dos Animais
Clica na imagem para mais informações

Rating