terça-feira, 6 de maio de 2008

Ataque sexual inédito entre animais intriga cientistas

Uma foca tentou copular com uma refeição potencial.

Foca

Cientistas sul-africanos testemunharam um bizarro ataque sexual de uma foca a um pinguim-rei. O incidente durou 45 minutos e foi captado em imagem pelos investigadores, que divulgaram a sua observação no Journal of Ethology. Local do crime: a ilha Marion, no arquipélago Prince Edward, a 1500 quilómetros da costa sul-africana, no Índico sub-antárctico.

A tentativa de cópula foi feita por um macho adulto, jovem e inexperiente, que na opinião dos cientistas exibiu um comportamento de "grande frustração". Desconhece-se o sexo do pássaro, que se debateu com desespero e parece ter escapado ileso. A diferença de peso, 100 quilos para a jovem foca, 15 quilos para o pinguim, tornou a sobrevivência um autêntico milagre.

Este caso foi o primeiro exemplo conhecido de ataque sexual entre animais de duas classes inteiramente diferentes, na circunstância mamíferos e aves. Mas, de início, os investigadores pensaram que se tratava de um ataque de outra natureza: "À primeira vista, pensámos que a foca estava a matar o pinguim", afirmou à BBC o cientista sul-africano Nico de Bruyn, da Universidade de Pretória, que co-assinou o artigo científico.

Afinal, a foca macho executou frenéticos movimentos pélvicos, tentando a cópula com o pássaro, mas sem a concretizar. Depois, a foca regressou ao mar e ignorou a sua vítima.

Nesta região, são frequentes as agressões das focas, na qualidade de predadores, a pinguins da espécie envolvida. Pode ter sido o caso, mas o animal era jovem e a tentativa transformou-se em comportamento sexual, talvez porque a foca ainda não tinha idade para conseguir acesso a fêmeas da sua própria espécie (daí a tese da frustração).

Estas especulações da equipa sul-africana mostram que o comportamento animal é ainda um relativo mistério para a ciência. O incidente pode ter sido um caso isolado de "brincadeira", que ganhou uma natureza diferente; ou a foca limitou-se a repetir comportamentos habituais da sua espécie, que caça pinguins na ilha Marion, para se alimentar.

São conhecidas as agressões sexuais entre espécies diferentes, sendo este um comportamento comum entre pinípedes, a que pertencem focas e leões-marinhos, por exemplo. Uma coisa é certa: estas situações ocorrem entre espécies próximas.

Quanto aos pinguins, a sua vida sexual é famosamente monótona, embora haja uma espécie que exibe comportamentos homossexuais e uma outra onde foi detectada uma espécie de fenómeno de "prostituição", ou troca de favores sexuais por pedrinhas que servem para construir os ninhos.
Fonte: Diário de Notícias (Portugal)

1 comentário:

4evermorangoscomacucar disse...

Olá Emanuel!!

Tudo bem??? Ainda bem que estás a gostar da rubrica!! Obrigado desde já pelos comentários que tens deixado no blog!
Parabéns pelo teu trabalho aqui desenvolvido...

Cumps
A equipa,
4evermorangoscomacucar

Estado de Conservação dos Animais:

Estado de Conservação dos Animais
Clica na imagem para mais informações

Rating